Por Marcelo Samogin.

O estudo recente liderado pela consultoria Remunerar procurou identificar além dos salários pagos aos profissionais desta área, indicadores de produtividade. Participaram da pesquisa 100 empresas que empregam cerca de 110.000 funcionários. Foram capturadas 724 informações salariais de 1280 profissionais de RH. A seguir temos alguns dados adicionais sobre o perfil da amostra de empresas.

  • Metodologia

A amostra salarial dos 29 cargos de RH da pesquisa foi propositalmente dividida entre dois grupos distintos, sendo eles: Grupo de empresas que em média pagam abaixo da mediana de mercado e outro grupo que em média paga acima da mediana, considerando o total em dinheiro (TD), ou seja, salário fixo mais premiações. Este tipo de análise nos proporcionou observar por grupos como algumas práticas de RH acontecem nas empresas, e também graus de agressividade para enfrentar os desafios da gestão de talentos. Na essência nos perguntamos se as empresas que pagam os salários acima da mediana de mercado também são agressivas em outras práticas de gestão de pessoas, e a resposta é sim, ao menos para as práticas abaixo e para o grupo de 100 empresas participantes da pesquisa.

 

  • Efetivo no RH e produtividade

A produtividade das áreas de suporte é um diferencial competitivo entre as empresas, e na área de gestão de pessoas não é diferente. A pesquisa também mostrou que a relação numérica entre efetivo de RH versus efetivo geral de funcionários também é diferente entre as empresas. As empresas que pagam acima da mediana são mais produtivas e mantém um time de RH para atender cerca de 8,1% mais funcionários. Aqui consideramos o time de RH efetivo mais os estagiários, conforme o critério da pesquisa.

  • Aproveitamento interno

Outro dado interessante nasceu da análise dos dados de aproveitamento interno para as vagas abertas. A rigor quando a empresa prepara seus profissionais e cria a cultura interna de meritocracia e evolução na carreira o aproveitamento de funcionários para ocupar novas vagas passa a ser um elemento relevante dentro da estratégia de gestão de pessoas. Esta prática também contribui para aumentar a produtividade da área de recrutamento e seleção, especialmente quando o mercado de trabalho está aquecido, como percebemos nos últimos 4 anos.

Analisando os dados agrupados das empresas segundo seu posicionamento frente à mediana de mercado também percebemos uma boa notícia. As empresas que pagam acima da mediana de mercado aos profissionais de RH têm praticamente o dobro de aproveitamento interno para as vagas abertas. Ou seja, além de se posicionarem de maneira competitiva para remunerar o time de RH tais empresas também valorizam a “prata da casa”.

  • Programas de qualidade de vida

Mais uma boa notícia vinda do estudo quanto analisamos a presença de programas de qualidade de vida, entre eles, o programa de alimentação saudável e programa de atividades físicas.

A realidade das empresas onde os profissionais de RH recebem acima da mediana é bem diferente em comparação ao grupo de empresa que pagam em média abaixo da mediana de mercado. Encontramos entre as empresas que pagam acima da mediana mais que o dobro de casos de práticas de programas de alimentação saudável.  Os programas de atividade física são também mais presentes entre as empresas que remuneram acima da mediana de mercado seus profissionais de RH. No caso dos programas de atividade física, as empresas que pagam acima da mediana proporcionam cerca de 3,5 vezes mais incentivos de atividade física contra as empresas que remuneram abaixo da mediana.

Leia matéria completa em: http://remunerar.com.br/produtividade-de-rh-e-maior-em-empresas-que-pagam-melhor/

 

Este post tem um comentário

  1. Empresas interessadas em participar de futuras enquetes podem escrever um e-mail para contato@remunerar.com.br. As enquetes são estudos de mercado sobre temas relevantes de gestão de pessoas e remuneração que a Remunerar patrocina sem custo para as empresas participantes.

Deixe uma resposta