Fernando Jucá revela no seu novo livro “Expertise em Aprender” o que diferencia os executivos que aprendem mais rápido dos outros profissionais

“A habilidade de aprender mais rápido que outros é provavelmente a única vantagem competitiva realmente sustentável”. A frase, do executivo e teórico holandês Arie de Geus, resume a importância de saber aprender – habilidade cada vez mais valorizada em tempos de avalanche de informações e de surgimento (minuto a minuto) de novas tecnologias e ferramentas.

Essencial para quem deseja chegar ao topo da carreira, e se manter nele, a habilidade de aprender é o tema do recém-lançado livro de Fernando Jucá “Expertise em Aprender” (Editora Papirus 7 Mares), de onde a frase de Geus foi retirada.

Como o autor escreve, “profissionais que sabem aprender fazem carreiras mais dinâmicas, ricas e muito mais prazerosas”. São essas as pessoas que conseguem chegam aos mais altos cargos corporativos.

Sócio da consultoria Atingire, Jucá conta que há algum tempo algo o incomodava. É que por mais bem feitos que fossem, muitos programas de treinamento corporativo não davam o resultado esperado.

“O aprendizado só acontece se houver um aprendiz”, diz ele, que decidiu se aprofundar no estudo do desenvolvimento desta capacidade.
“Pedimos para que as pessoas apontassem os profissionais com a expertise em aprender e fomos investigar o que eles faziam de diferente dos outros”, diz.

O resultado foi a elaboração de um modelo de ação geralmente adotado por quem se destaca no que diz respeito ao aprendizado. E esse modelo é o grande segredo dos melhores profissionais, segundo Jucá. Confira o que eles fazem de diferente dos outros:

1- Humildade e objetivos

“O ser humano mantém a si mesmo pela renovação, pelo aprendizado constante”, escreve Jucá. O primeiro passo que diferencia as pessoas que aprendem mais rápido das outras é reconhecer as oportunidades de aprendizado. Além disso, elas traçam objetivos específicos de desenvolvimento pessoal, explica o autor.

As pessoas que aprendem mais rápido do que as outras têm a humildade necessária para aprender o que não sabem e também para reaprender ( sob nova ótica) aquilo de que já sabem.

Ou seja, estão sempre revendo conceitos e convicções. E traçam metas para isso. “Objetivos desafiadores são poderosos instrumentos de engajamento”, escreve Jucá.

Quem tem essa primeira dimensão do aprendizado mais bem desenvolvida são os profissionais com “expertise em energizar”, classifica Jucá. Pesquisa, realizada com 250 executivos de grandes empresas na cidade de São Paulo, apontou que 25% são deste perfil.

2- Procura por novas experiências

Os executivos que são experts em aprender são extremamente abertos e proativos em relação a diferentes tipos de experiências, segundo Jucá.

Buscam diferentes tipos de desafios em suas carreiras, pesquisam, discutem e questionam pessoas a sua volta. Essa habilidade se sobressai em profissionais classificados por Jucá como experts em explorar. Na pesquisa realizada pela Atingire, 31% dos participantes tinham essa capacidade mais desenvolvida.

3- Pensamento crítico

Além de buscar novas experiências, o experts em aprender são capazes de refletir acerca delas, extraindo princípios gerais e fazendo novas conexões.

São aquelas pessoas que sabem fazer as perguntas certas. Em outras palavras, interagem com o que aprendem.

Ter essa habilidade desenvolvida é ter o que Jucá chama de “expertise mental”. Na pesquisa realizada pela sua consultoria, a Atingire, 24% dos participantes tinham essa característica desenvolvida.

4- Mudança de comportamento

Consolidar o aprendizado a partir da prática é a quarta dimensão que diferencia os experts em aprender, que como explica Jucá são protagonistas do seu desenvolvimento.

Traduzir em ação o resultado dos outros 3 itens é parte fundamental do modelo de aprendizado proposto no livro. E esta é parte menos desenvolvida da expertise em aprender nos executivos. A pesquisa da Atingire mostra que apenas 20% dos entrevistados tinham este perfil.
Como explica Jucá, quem tem esta habilidade, sabe que “o aprendizado só se concretiza quando origina novos comportamentos positivos”.

Por:https://exame.abril.com.br/

Este post tem um comentário

  1. muito interessante!

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Close Panel