Pesquisa feita pela Associação Nacional de Veículos Automotivos (ANFAVEA) indica queda de 21,7% na produção de carros, caminhões e ônibus em abril de 2015. Apesar dessa baixa no setor de vendas, um setor que está em ascendência é a indústria reparadora de veículos, que agrega serviços como mecânica, elétrica, funilaria e pintura. Menos carros zero na rua, significa mais carros usados e seminovos em manutenção nos centros automotivos.

Independente da situação atual do mercado automotivo que movimenta 23% do PIB (Produto Interno Bruto), já faz um bom tempo que se conhece a falta de mão de obra qualificada para o setor. No setor de reparação automotiva um queixa é que os profissionais existentes estão a muito tempo no mercado e não existe uma renovação desses profissionais.

Diante desses desafios, uma boa saída são os centros automotivos ofertarem formação especializada aos seus colaboradores, uma ótima saída é a formação desses novos profissionais desde o primeiro emprego, que é o projeto de menor aprendiz. No CAMP Oeste existe o aprendiz automotivo e de estoque, que é a renovação dessa mão de obra que o mercado automotivo procura.

Deixe uma resposta