Por Marcelo Samogin

 

Nos momentos de expansão da economia as empresas fecham novos contratos e crescem suas operações inclusive contratando novos funcionários. O mercado de trabalho aquecido cria novas oportunidades para os profissionais negociarem aumentos salariais nas atuais empresas, e também junto à concorrência.

A preocupação das empresas e áreas de recursos humanos se volta para atrair e manter os melhores profissionais para que estes superem as expectativas dos clientes através das entregas. Empreendedores e gestores de RH focam os programas diversos de remuneração para criar estratégias de recompensa que reconheçam e premiem o desempenho individual e em grupo.

A riqueza cresce através do retorno dos investimentos privados e da criação de novos empregos por longos períodos, o consumo aumenta e todos estão felizes, até um dia que o cenário econômico muda, e a inflação, a recessão e o desemprego voltam ao noticiário. Ambos os momentos, expansão e recessão, exigem estratégias diferenciadas para manter se posicionado no mercado.

As estratégias de remuneração e as crises

Parece pouco romântico pensar que grandes oportunidades podem surgir em momentos de crise, mas sabemos que é verdade. A crise é uma oportunidade de se reinventar os negócios. Quando as empresas crescem o sucesso da operação camufla ineficiências de todos os tipos. Na crise qualquer redução percentual, de qualquer valor, somada a outras economias pode fazer diferença no final de um período de tempo. No campo das estratégias de remuneração e recompensa não é diferente. Então como as ferramentas de remuneração podem criar oportunidades para se buscar eficiência nas empresas nos momentos de crise? Onde focar esforços de ajustes nos momentos de crise?

 

Leia matéria completa em: http://remunerar.com.br/em-momentos-de-crise-recrie-as-estrategias-de-remuneracao/

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Close Panel