Hoje o que existe no mercado de trabalho, pode-se dizer, que é uma salada de frutas das gerações. Convivendo, dividindo e trabalhando no mesmo espaço, essas gerações que compreendem os babyboomers entre 83 e 63 anos, geração X entre 43 e 50 anos e a geração Y, a partir de 1977, com aproximadamente 39 anos e a geração Z, das pessoas nascidas a partir do ano de 1995 até 2010.

Os veteranos ainda estão ativos no mercado de trabalho, em sua maioria como CEOs e cargos de confiança. Essa geração cresceu entre as guerras mundiais e tem como características a disciplina rígida e imenso respeito às hierarquias. No trabalho valorizam o comprometimento e lealdade, também respeitam a hierarquia no local de trabalho e espera que os outros a façam também. Como funcionários sabem aguardar pacientemente a recompensa ou reconhecimento pelo trabalho.

A geração babyboomer é uma geração pós segunda guerra, otimista em relação ás mudanças e ao futuro. São muitos focados no trabalho e valorizam muito o crescimento profissional. São políticos e fazem alianças no ambiente corporativo para alcançar seus objetivos . Fazem vínculo ás empresas que trabalham e estabelecem um vínculo com a mesma.

A geração X são mais céticos que a geração anterior, na  cena política assumem o papel de expectadores. Essa geração busca o equilíbrio entre vida profissional e pessoal, balanceando esses dois fatores. Sentem-se a vontade com tecnologia. Não costumam se fidelizar ás organizações, pois os interesses da vida pessoal pesam muito em relação ao trabalho, como qualidade de vida por exemplo. Trabalham com grande energia quando possuem um foco definido e tem a necessidade de feedback.

A geração Y é comprometida em mudar o mundo em esfera ecológica, senso de justiça social e tem mais propensão para trabalhos voluntários. São otimistas em relação ao futuro. Assim como a internet são imediatistas, agitados e ansiosos, gostam de estar em constante movimento. No trabalho, admiram a competência real e não a hierarquia, essa admiração vem dos talentos e pessoas para se espelharem. Por estarem em contato com muitas informações através de diversas plataformas digitais, tem um pouco de dificuldade com a correlação dos conteúdos.

A geração Z , também conhecidos como ”nativos digitais” não conhecem o mundo sem internet. Eles estão sempre conectados a diversas plataformas. São ansiosos, gostam de pensar no futuro, mas estão mais ligados ao que acontece no presente. Tiram as suas dúvidas via sites do busca, o que remete que quando mais novos não tinham muito contato com livros para fazer pesquisas. No trabalho não são muito ligados as hierarquias, não tem problemas em conversar diretamente com o CEO de sua empresa. Necessitam de feedback e não tem problemas em largarem o emprego para trabalhar na concorrência. CLIQUE AQUI E BAIXE NOSSO E-BOOK “COMO ENGAJAR A GERAÇÃO Z NO AMBIENTE DE TRABALHO”

Hoje é um grande desafio para os gestores de pessoas administrarem essa ‘’salada de gerações’’, mas é interessante extrair o que cada uma delas tem para oferecer á corporação.

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Close Panel