“Nem tudo na vida são flores”, essa frase sempre aparecia quando algo dava errado na infância/adolescência, minha mãe, meus amigos, professores, todos diziam isso quando me frustrava ou algo saia do controle. Quando se é uma criança, as pessoas entendem sua frustração e te ajudam a entendê-la. Mas com os adultos não é bem assim e essa frustração é um grande inimigo da automotivação.

Bem, não sou mais uma criança e apesar de saber que nem tudo saía da maneira que imaginamos, como fazemos, na vida adulta a frustração e mau humor  podem ser motivos da falta de automotivação. É uma tarefa complexa manter-se motivado em um ambiente que nos causa insatisfações.

O ambiente de trabalho, por exemplo, pode ter um colega que só reclama do salário, outro que tenta passar a perna nos colegas, um chefe injusto… são inúmeras as razões que podem desmotivar alguém. A frase “ Antes de mais nada, fica estabelecido que ninguém vai tirar meu bom humor” de Fernando Sabino é o que mais se encaixa no perfil de uma pessoa automotivada.

Trabalhar com o que gosta e estar rodeado de pessoas inspiradoras e profissionais, é simples, difícil é manter-se automotivado e de bom humor nas adversidades. Mas não é impossível. Trabalhar a automotivação, seja no trabalho ou em casa depende mais de vontade e iniciativa do que somente fatores motivadores externos, afinal, automotivação é um trabalho seu e você pode trabalhar para tornar seu dia-a-dia mais agradável.

Em casa, a automotivação depende de você e das pessoas que moram nela. Já no trabalho, seja jovem aprendiz, estagiário ou analista, não são só as técnicas de motivação da empresa que devem existir, você também pode buscar maneiras de se automotivar de maneiras simples. Aqui vão 2 dicas que podem te ajudar a manter-se automotivado no trabalho ou em qualquer ambiente.

 

  1. Autoconhecimento: a chave da automotivação

A dica é tirar o foco das outras coisas e olhar pra dentro. Não foque na lista de tarefas que tem que executar, mas sim no seu sentimento em relação a cada item dela. Assim você saberá quais tarefas são fáceis, quais são difíceis e quais trazem prazer pra você. Depois, dentro dessas tarefas você consegue se organizar melhor e minimizar ou otimizar as tarefas que são mais difíceis.

Referente às situações, olhe de fora, como se fosse um telespectador de si mesmo e analise quais dessas situações vale a pena comprar briga e quais é melhor deixar pra lá.

Se automotivar é olhar pra dentro. O que te motiva?

2. Errar faz parte de qualquer aprendizado

“Nem tudo na vida são flores” lembra? E nas situações adversas para manter-se automotivado, continuar persistente e resiliente são duas posturas que você também deve se acostumar.

Evitar criar expectativas é uma saída para evitar frustrações, sentimento esse que é o maior inimigo da automotivação. Não ter o reconhecimento esperado no trabalho não é agradável, mas se manter motivado perante esse cenário é um mérito seu. Segundo Gilberto Gavicchioli, especialista em gestão de pessoas “Ou muda-se os fatos (o que não se tem controle) ou mudamos a forma de encará-los. Isso, sim, podemos controlar”.

Com essas dicas, você já pode começar o seu projeto ‘automotivação 2018’, independente do cargo que ocupa, seja aprendiz ou analista, todos precisamos encontrar nosso ponto de equilíbrio dentro do trabalho, e de casa também.

 

FONTE: Época Negócios

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Close Panel