A geração X dos nascidos entre os anos 60 e 80 foi a geração dos direitos civis, surgiram contrários às repressões militares, hoje, essa geração, ocupam cargos importantes nas empresas e alguns são chefes da geração Z.

A geração X é mais ‘’pé no chão’’, cresceram acreditando que o melhor dos mundos era ter um plano de carreira e não se importam em passar a carreira inteira na mesma empresa.

A questão é:

Essa geração mais ‘’pé no chão’ está se adaptando com as mudanças das novas gerações?  

Existe um grande desafio na gestão dessas duas gerações, um como chefe e o outro como liderado.  

A geração X, talvez não veja essa falta de estabilidade com bons olhos, assim ele não aposta todas as suas fichas naquele talento e pode perdê-lo, muito mais por receio do que por esforço do jovem.

A geração Z, preza muito mais por um bom convênio médico do que por uma geladeira de cerveja para o Happy Hour, não necessariamente porque ele não se importa com isso, mas, ter um bom benefício de saúde e sentir-se seguro pode ser  uma boa tática para reter talentos na empresa.

Outra característica da geração X que reflete diretamente na relação de trabalho com a Z é a questão da hierarquia. Não se pode pular as etapas e simplesmente mandar um e-mail com uma dúvida diretamente ao CEO, existem outras etapas a serem cumpridas antes os líderes da geração X deixam isso bem claro aos seus liderados, todas as questões importantes devem antes passar por ele e depois, caso haja autorização, encaminhado ao destinatário final.

Existem ainda muitas falhas na comunicação e gestão entre as gerações, mas, as empresas vem se adaptando a esse novo cenário. Diversos estudos estão sendo elaborados para entender melhor a relação das gerações nesse meio.

Deixe uma resposta