Em um mundo globalizado e competitivo, a organização tem que se comprometer com a excelência de seu negócio, já que o ambiente empresarial tem exigido a maximização da capacidade de obter resultados pelas pessoas.

As organizações estão em busca de aumentar o maior número de talentos para as suas equipes, isto implica em mudanças para os colaboradores e nos métodos de atrair e reter esses talentos. Com isso, o processo de recrutamento e seleção tornou-se estratégico para as organizações, resultando na mudança das ferramentas de avaliação utilizadas. Assim, isto só é possível com a administração eficiente dos recursos humanos da organização, que pode ser realizada através da gestão por competências, especificamente, visando a melhoria no processo de recrutamento e seleção pela seleção por competências. Segundo Chiavenato (1999).

É um método eficaz que compreende perguntas abertas, para que o candidato consiga  exemplificar como ele se sairia naquele contexto usando seus conhecimentos, características e habilidades.

Existe uma política dentro da maioria de empresas para retenção de talentos, mas de nada adianta se o processo de seleção não é levado em conta o que o candidato precisa para ocupar a vaga, é necessário que o processo comece a fazer sentido já na entrevista.

Esse tipo de seleção pode livrar os profissionais de Rh de respostas baseadas no ‘’eu acho que’’ e de respostas padronizadas. Colocar o candidato em uma situação onde ele diga como, com quais ferramentas e qual o resultado aquela ação terá na resolução de certo problema ou desafio, demonstra também, o poder de argumentação do candidato.

A geração Z é aquela que não conheceu o mundo sem internet. Quando chegam ao mercado de trabalho e querem se aprofundar em algum assunto ou habilidade, recorrem aos cursos online ou até o próprio youtube.

São autodidata em várias competências, principalmente aquelas ligadas à tecnologia. Se a empresa precisa que o candidato tenha alguma habilidade a nível avançado, na entrevista ou dinâmica essas habilidades devem ser colocadas em prova. Pois,  nem todos os conhecimentos dessa geração pode ser mensurada através de certificados. É preciso saber o conhecimento real sobre algo.

Algum tipo de conhecimento pode não estar no currículo, até por dúvida do próprio jovem de colocá-lo ou não, seja por falta de comprovação, não achar tão relevante ou medo que o currículo fique extenso.

Cabe ao profissional de Rh fazer o que faz de melhor: extrair o melhor de cada candidato naquele determinado momento, naquele tempo determinado para examinar cada candidato e usando das melhores ferramentas aplicadas a cada empresa e vaga.

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Close Panel